Artigos do blog

Qual o impacto das eleições americanas no mercado financeiro?

impacto das eleições americanas no mercado financeiro

As eleições presidenciais nos Estados Unidos podem ser consideradas um evento global, uma vez que este país é o maior cliente da maioria das economias, e o impacto da escolha do líder da maior economia do mundo vai muito além disso.

Em 2024 estamos diante de um cenário ímpar, onde caso nada de excepcional aconteça, teremos de um lado o controverso Joe Biden e de outro o polêmico Donald Trump – duas pessoas com posturas e viés diferente, no comando de uma potência cada vez mais afetada pelo crescimento da China.

Em paralelo a isso temos a confiança das instituições ainda em xeque por boa parte americanos que até hoje contestam os resultados das eleições de 2020, e o receio de toda a população restante de que em caso de derrota de Trump exceções como a invasão ao Capitólio possam ocorrer novamente.

Não à toa, esta tem sido considerada a eleição mais importante da história dos EUA, e nesse artigo você irá entender os motivos e seus eventuais impactos para os mercados financeiros globais, e a partir dos tópicos abaixo:

Incerteza e Volatilidade

No mercado financeiro a incerteza é tão danosa quanto lucrativa, e sendo o preço dos ativos uma reação direta do cenário econômico, operar sem saber quem será o próximo presidente ou quais suas políticas é como jogar uma moeda para cima.

Tal incerteza costuma levar a uma maior volatilidade, com oscilações significativas e por vezes inesquecíveis nos preços das ações, moedas e commodities.

Exemplo: Durante as eleições de 2016, a vitória inesperada de Donald Trump causou uma reação imediata nos mercados.

Inicialmente, os mercados futuros dos EUA caíram drasticamente, mas se recuperaram logo em seguida, com o Dow Jones Industrial Average atingindo novos recordes logo após a eleição.

Políticas Econômicas Distintas

As políticas econômicas propostas pelos candidatos podem ter um grande impacto nos mercados, e questões como impostos, regulamentação, gastos públicos e comércio internacional são cruciais para os investidores.

Diferentes abordagens dessas questões podem beneficiar ou prejudicar certos setores da economia.

Um exemplo disso temos na eleição de Barack Obama em 2008, que trouxe expectativas de regulamentações mais rigorosas para um setor financeiro que já estava abalado pela crise financeira global, o que na prática afetou os preços das ações das empresas do setor bancário e também financeiro.

Taxas de Juros e Política Monetária

A escolha do presidente pode afetar a nomeação de dirigentes do Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA e que define as taxas de juros. Mudanças nessas taxas podem impactar o custo dos empréstimos e o retorno sobre os investimentos.

Como ocorreu na eleição de Joe Biden em 2020, que gerou expectativas de políticas mais expansionistas e com maior foco em estímulos econômicos, influenciando as expectativas do mercado sobre a política do Fed, impactando as taxas de juros e, consequentemente, os mercados de ações e títulos.

O que então esperar das eleições de 2024?

As eleições americanas ocorrerão no dia 5 de novembro de 2024, quando os americanos irão escolher:

  • Presidente e vice-presidente;
  • 435 assentos na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos (Congresso);
  • 34 dos 100 assentos no Senado;
  • 13 governos estaduais e territoriais.

E à medida que nos aproximamos desta data, vários fatores serão monitorados de perto pelos investidores e poderão influenciar nos resultados.

A economia talvez seja o mais decisivo deles, uma vez que uma economia forte pode favorecer o candidato do partido no poder, enquanto uma economia fraca pode beneficiar o candidato da oposição.

Com relação às políticas sustentáveis, todas as propostas serão observadas atentamente, pois além deste se tornar um assunto de interesse global, mudanças nas regulamentações ambientais podem impactar indústrias como a de petróleo, gás e energias renováveis dos EUA, o que também impacta na economia do país.

Mas não podemos esquecer da política externa e das relações comerciais, especialmente com a China, e a postura distinta dos candidatos em relação a acordos internacionais já firmados, além dos pendentes e também dos possíveis, que podem influenciar os mercados globais não apenas em 2024, como também nos próximos anos.

Como ativos se comportam durante o período eleitoral?

A volatilidade dos ativos é algo característico da bolsa americana, mas se tratando de período eleitoral isso fica ainda mais evidente.

E por isso, para não ficarmos apenas na teoria, resolvemos explorar o impacto da volatilidade durante algumas das eleições passadas:

Ao observar o Índice VIX, que mostra as expectativas em relação à volatilidade do mercado de ações através das opções (derivativos), vemos uma maior volatilidade nos meses e semanas que antecedem a eleição, além do próprio dia da eleição.

impacto eleições americanas

Fonte: Daily FX – 06/out/2020

Mas uma vez passado o período de incerteza, e após uma noção melhor das intenções e propostas do governo eleito, o mercado apresenta boa performance, conforme vemos na linha que representa a média ou average, o que pode ser conferido no quadro abaixo:

impacto eleições americanas 2

Fonte: J.P. Morgan Private Bank U.S. – 18/mar/2024.

E como no mercado nada é garantido, deixe a emoção e o viés de lado…

Nas eleições e no esporte há algo em comum, a preferência por algum dos lados, mas mercado financeiro é reação.

Não importa o quanto nossa atenção, paixão, crença e/ ou expectativa estejam envolvidas, nada disso deve nos abalar ou ditar nossas operações e investimentos.

Como diria Warren Buffet:

“Investir deveria ser mais como ver a tinta secar ou ver a grama crescer. Se você quer emoção, pegue seu dinheiro e vá para Las Vegas!”

E para aproveitar toda essa volatilidade, inscreva-se no evento onde te ensinaremos isso em 3 aulas gratuitas clicando no banner abaixo: 👇👇👇

Deixe um comentário

Subscribe
Notificação de

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários

Veja outros Artigos